Anúncios !!!


Cat-1

Cat-2

Anúncios!!!


Poesia

ColunaDireita

Catago Vazio2

Coluna Filosofia


ANÚNCIOS!!!


» » 23 de novembro festejamos o Dia da Palavra com Poesia

23 de novembro é festejado o Dia da Palavra. A comemoração da data lembra da Palavra como vínculo entre os povos. A fraternidade universal.

A sede do Museu da Palavra foi inaugurada pelo Presidente de Castilla-La Mancha, José María Barreda, em 23 de novembro de 2009. Nesse dia se fez entrega da primeira edição do Premio Internacional de Microrrelatos Museu da Palavra. Essa data foi escolhida como Dia Internacional da Palavra.

Fonte do texto e da fotografia: http://www.museodelapalabra.com/

Participamos desse evento convocando os poetas para escrever sobre A PALAVRA por intermédio do Projeto Poetizar o Mundo de Isabel Furini, Embaixaora da Palavra desde 2014.
Todos os participantes receberão certificado pelo e-mail.

Recebemos poemas de:
Amaury Nogueira - Curitiba - PR - Brasil
Maria Antonieta Gonzaga Teixeira - Castro-Paraná-Brasil
Edweine Loureiro  - Japão
Madalena Ferrante Pizzatto - Curitiba -PR - Brasil
Neyd Montingelli - Curitiba-  PR - Brasil
Allan Caetano Zanetti - Brasil
Elciana Goedert (Ciça) - Curitiba - Paraná
Noeli Tarachuka - Curitiba-PR- Brasil
johnmaker (Alfredo Vasconcelos) - Minas Gerais – Brasil
Maria da Glória Colucci - Curitiba-PR- Brasil
Octaviano Joba - Quelimane - Moçambique
Paulo Roberto de Jesus - Curitiba - PR - Brasil
Van Zimerman - Curitiba-PR -Brasil
Juliana Oliveira Nascimento - Curitiba-PR -Brasil
Ione Perez - Curitiba- PR- Brasil
Haroldo Barbosa Filho - São José dos Campos/ São Paulo - Brasil
Rita Delamari - Curitiba- PR - Brasil
Izabel Rodrigues Guandalini -Americana - São Paulo - Brasil
Isa Paes - Viseu -  Portugal
Isabel Furini - Argentina/Brasil
Carmo Vasconcelos, IWA - Lisboa -Portugal
Laura Monte Serrat Barbosa - Curitiba -PR- Brasil



Escolhemos para esta primeira homenagem à palavra o quadro da artista de Comodoro Rivadavia, Patagônia Argentina, professora Claudia Agustí.



Na continuação, os Poemas recebidos até 22 de novembro (data de encerramento dos trabalhos):



Palavras 

Sílabas, jogadas a esmo
Formam palavras soltas ao vento
Mas quando se formam na caixa do peito
Vem igual a um vulcão, sendo palavras
De carinho, amor e compreensão.
Posso, escrevê-las sem rimas
Em cima da mesa, até mesmo no chão.
Mas sei, que são palavras lindas vindas
Do meu coração.

Amaury Nogueira
Curitiba - Paraná - Brasil

_____________________________________


Palabra

Palabra bien situada
Se calienta el alma y da vida
Cuida la tristeza y la angustia.
Palabra hace que suspires
Sentirse bella y potente
Con el brillo y la fascinación.
Palabra hace del mundo un paraíso
Utopía y realidad
Hace que el hombre cree
esplendor y misterio de la vida.

Maria Antonieta Gonzaga Teixeira
Castro-Paraná-Brasil


_______________________________________________


PARA EMBRIAGAR

Entrei no bar, decidido
a saciar meus vícios:
pedi a cerveja
e pus sobre a mesa
um livro de Vinícius.

(Poema classificado entre os 100 melhores no IV TOC 140 – Fliporto.)

Edweine Loureiro (Japão)

_______________________________________________


PALAVRAS INDIZÍVEIS

Minha palavra sem contexto
chora baixinho no meu porão.
Carrego minha dor no texto
num poema que não seduz,
uso algumas rimas inúteis
e “palavras indizíveis”.

Eu vivo- pulso- explodo
( malabarista e insustentável )
Sou peito aberto -  Sou poeta!

Madalena Ferrante Pizzatto
Curitiba -PR - Brasil
____________________________________________________


Palavras ao mundo

A palavra em rima
É poema.
A palavra em memória,
É história.
A palavra em ternura, com afeição,
É amor, é paixão.
A palavra em solidariedade
É caridade.
Feliz aquele que faz da palavra
Seu meio de comunicar-se com o mundo.

Neyd Montingelli
Curitiba-  PR - Brasil


______________________________________________________

Fato novo

Cada verso é um fato novo:
Quebra a rotina e encanta;
Às vezes, os males suplanta
E confere confiança ao povo.
Este, devidamente ajuizado,
Se alegra por ser alfabetizado.

Allan Caetano Zanetti
Bento Gonçalves/RS

__________________________________________________________

SILÊNCIO É OURO

na quietude
reside sabedoria
palavras vomitadas
no auge da euforia
trazem consequências

a melhor atitude
é a língua refrear
agir com inteligência
com cuidado observar
analisar divergências
e só depois opinar

Elciana Goedert (Ciça)
Curitiba - Paraná


________________________________________________________

Palavras bem ditas

Entre os povos é falada
é cantada ou escrita,
abençoa amaldiçoa
unindo ou desunindo
as pessoas.
É motivo de alegria
ou de tristezas
dependendo de como
são ditas.
O maior vínculo entre a
humanidade são as
“Palavras” bem ditas.

Noeli Tarachuka
Curitiba-PR- Brasil
21/11/2016


___________________________________________________________


AMOR EM PALAVRAS


A quem de tanto amor se deu,
Com tal encanto,
Que se acendeu como chama
E para o meu espanto foi saudade,
E a ansiedade em ti  a flor crescida
Foi brotando em cada palavra
Possuída de  pranto,
Consumida no manto poético.
Restabeleceu-se à aurora florida
Quando as palavras resplandeceram
Diante da minha tristeza,

E o orvalho sem orgulho
Deu-se à presteza de um mergulho
Ascendeu-lhe  o brilho na alma,
Por um olhar já corrompido...

johnmaker
Alfredo Vasconcelos - Minas Gerais – Brasil



________________________________________________________


BANAL

Nenhuma palavra é banal!
Tem força, tem energia, tem impulso.
Banal é quem a usa mal.
Perigosa é a palavra injusta,
desperdiçada, leviana, sem cor,
vazia, sem afeto, sem amor,
que fere como seta fervente, mortal.
Banal é quem a usa mal.
Pedra aguçada, agressiva,
ou pérola preciosa, que anima,
produz conforto e dá alegria!
Não esqueça a cada dia:
- Nenhuma palavra é banal...!

Maria da Glória Colucci
Curitiba-PR- Brasil
________________________________________________________


Palavra 

Palavra leve,
A que leva a dor da alma partida.
Palavra breve
Triste ou alegre na hora da despedida.
Palavra amiga,
A do vocabulário cotidiano, lés-a-lés.
Palavra espiga
A que floresce ainda que na aridez.

Palavra- mãe,
A geratriz da melodia que soou.
Palavra- passe
O segredo de quem a criou.
Palavra-chave,
A do poeta que o poema revelou.

Octaviano Joba
Quelimane - Moçambique


____________________________________________________


Vínculo da humanidade

Palavra é o belo vínculo da humanidade
Mal manuseada leva a conflito e guerra.
Com adequado uso o peito do ser invade
Semeia a alegria e impregna de paz a terra.
É o medicamento que a ignorância cura.
Palavra é instrumento da humana inteligência
É ela que permite a difusão da cultura
A troca de saber e a expansão da ciência.
Palavra é alimento vital ao corpo e à alma.
No início era o Verbo e o Verbo era o Amor
Que relaxa o corpo e a mente do ser acalma.
E inspira o poeta para um verso compor
Prosar a poesia e entoar doce canto
Palavra  minha querida, você é o meu encanto.

Paulo Roberto de Jesus
Curitiba - PR - Brasil
__________________________________________________


MANDALA DE PALAVRAS

De manhãzinha
Na tela em branco
As tintas deslizam,
Pincelando imagens:
Palavras de tintas,
Repletas de emoção e vida.
No muro da escola
A palavra Paz, ainda, é um sonho...
Quando levadas pelo vento
As palavras movem moinhos
E sinos- de- vento.
À tardinha,
Na primavera as palavras de amor
Passeiam nas flores e juntas
Desenham mandadas...

Van Zimerman

Curitiba-PR (Brasil)
__________________________________________________

Palavras 

Palavras são pura poesia
Quando belas
O olhar encanta
Quando extraordinárias
Possuem uma beleza magnânima
Palavras de carinho se expressam na doçura do tratar
E podem revelar
a mais linda forma de amar...

Juliana Oliveira Nascimento
___________________________________________________


LEMBRANÇAS

No entardecer da Primavera
As mais belas palavras, a ti dediquei.
Foram estrofes, versos, poemas incompletos
Emoções esquecidas nos papéis de cartas amarelados pelo tempo
Se pudesse dizer-te tudo o que sinto,
palavras faltariam-me no momento.


Ione Perez
Curitiba- PR- Brasil

_______________________________________________________



Dia da Poesia

Queria que hoje fosse o o Dia da Poesia!
Um dia que poderia se chamar Clarice.
Também poderia ser conhecido como Quintana.
Ou, certamente, Manoel de Barros.
Imagine as pessoas, ao invés de dizer "bom dia",
desejarem um "bom Drummond" umas às outras.
Que dia seria este!
Seria o dia em que todos se reconheceriam
por uma poética cultura.
Que terra seria esta!
Ao final deste dia, a noite deitaria
com a certeza de muito Sol no dia seguinte.
E nos outros, também.

Haroldo Barbosa Filho
São José dos Campos/ São Paulo
__________________________________________________


PALAVRAS BEM-DITAS

Palavra dita de forma errada,
Machuca tal qual espinho...
Não tem jeito, depois de lançada,
Na mente soa qual burburinho.

Chega vestida de bem-querer
E carrega uma conotação...
É dito: não foi isso que quis dizer!
Aí se propagou a confusão.

Bem dita, fica cravada,
E de forma sutil, ela eterniza
Quando o amor dela se apropria,
Tudo ao redor, se faz poesia.

Mas existem palavras,
Que não precisam ser ditas
Para serem entendidas...
Basta um gesto, um olhar e mais nada!


Rita Delamari
Curitiba- PR - Brasil

___________________________________________________

PALAVRA

Palavra é língua viva
Renovando se diariamente
Por isso tem poder
Pode ferir mais que um ato
Ou apaziguar um coração
Dependendo do momento
Do lugar
E da intenção.

Izabel Rodrigues Guandalini
Americana - São Paulo - Brasil
____________________________________________________


Palavras

Palavras soltas sem querer,
Palavras ditas com prazer,
Palavras que magoam,
Palavras  que voam.

Palavras que mudam o mundo,
Que alteram tudo num segundo,
Palavras duma vida,
Ditas em despedida.

Palavras soltas pelo vento,
Levadas em pensamento,
Palavras recalcadas,
omitidas ou desprezadas.

Palavras e mais palavras,
Benditas ou amaldiçoadas.


Isa Paes
Viseu,  Portugal

___________________________________________________


LÍNGUA DE BOI COM MOLHO DE TOMATE 

contam que na Grécia antiga
um rei muito sorrateiro
pediu para seu cozinheiro
um alimento capaz
de melhorar o mundo inteiro

e o cozinheiro serviu
língua com molho de tomate

o rei sentiu um alicate
mordendo a sua vaidade
e tentando um desempate
pediu um alimento hostil
para representar a crueldade

e cozinheiro serviu
língua com molho de tomate

a esposa do rei falou:
a palavra pode expressar
a bondade ou a maldade.

(Poema baseado em uma fábula de Esopo)
Isabel Furini
Curitiba/PR - Brasil (residência)
Buenos Aires - Argentina (local de nascimento)


_________________________________________________


A PALAVRA

Seja escrita ou falada, seja rimada ou cantada,
a palavra é milagrosa.
Tão milagrosa que a gente a manipula e a sente
como arma poderosa.

Ela é desprezo e amor, estrume, pólen e flor,
estrela, lama e chão;
pacifismo, violência, pornografia, inocência,
praga e também oração.

É perfídia, honradez, abnegação, mesquinhez,
raiva, beijo e ciúme;
também é água da fonte, maré, abismo e ponte,
degelo, paixão e lume.

Por vezes é alimento, é sol, chuva, fermento,
que sustenta e aduba;
por outras é sofrimento, luxúria, vício, tormento
e açoite que derruba.

Com ela o mundo se espanta por ser satânica e santa,
bálsamo e droga infecta;
guilhotina e perdão, liberdade e prisão,
vómito de boca abjecta.

Pode ser batalha ou trégua, conforme a bitola e régua,
do espelho da consciência;
também é rosa e espinho, cardo, jasmim e carinho,
escravidão, independência.

Ela é freira, meretriz, pântano, pomar, raiz,
pureza e poluição;
é profana e sagrada, afago e chicotada,
desavença e comunhão.

Mas para mim é um fogo, e um mar onde me afogo,
eternidade e momento;
êxtase, estupefacção, poema, contemplação,
bailado do pensamento.

E para todo o Poeta
a palavra é a dilecta, eterna amante fatal!
E o Poeta quando parte, só deixa como estandarte
a sua amante imortal !


Carmo Vasconcelos, IWA
Lisboa/Portugal

________________________________________________________


A pá lavra a palavra

Uma pá lavra…
Várias pás lavram o chão;
Preparam-no para a semente
Transformar-se em botão.
Uma palavra lavra…
Várias palavras lavram
O campo da imaginação;
Preparam-no para a semente
Da significação.
Palavras são lavradas
Como registro da decisão,
De idéias, de planos… em atas;
Atas que atam e desatam
No calor da discussão.
A pá lavra…
A palavra lavra e é lavrada,
Ata, desata e é atada.
E a vida?

Precisa da pá do lavrador;
Do palavreado do orador;
Do fazer do fazedor;
Do conhecer do conhecedor;
Do não saber do não sabedor;
Do ser humano;
De compartilhar o amor;
E da pá que lavra
A lavoura de palavras,
Na qual busco elementos
Quando não os encontro
Para traduzir minha emoção e
Minha dor.
Diante dela suplico:
– Me dê a palavra,
Por favor!

Laura Monte Serrat Barbosa
Curitiba -PR- Brasil

«
Próxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Editor da Revista Carlos Zemek

Curador e Artista Plástico.
Membro da Academia de Cultura de Curitiba - ACCUR.

1 comentários

23 de novembro festejamos o Dia da Palavra com Poesia



ANÚNCIOS!!!


Eventos Culturais

Conuna1Inferior

Catalogo Vazio3

Anúncios!!!

Livros Digitais